domingo, 25 de outubro de 2015

Minhas mãos tremem. Não consigo parar. Agoniante. A letra borra no papel.
Não consigo estudar. Esse tremor... Descontrolado, me apavora.
Que outros sintomas hão de vir?
Tenho medo. Não sei dizer se esse medo é sequer racional. Não sei com quem compartilhar esse tipo de angústia.
Mais uma vez inerte, não sei o que fazer. Me sinto impotente, esperando.
O que virá............. não sei.
Estremeço. E minhas mãos continuam tremendo.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

O mundo é cheio de ironias

Não seria engraçado se você passasse boa parte da vida afogado em sentimentos de auto-depreciação, em que, quase todas as vezes, você acabasse por decidir que talvez viver não seja para todos, e de repente você, individuo infeliz consigo mesmo, fosse diagnosticado com uma doença auto-imune, o seu próprio corpo se auto-destruindo?

Pobre de você, com sua existência tão errônea que seu próprio dna decidiu aliviar-te do fardo de ser você. Muito lento, porém. Não, aguenta teu fardo. Tenta remediar o irremediável (lute contra seu corpo, oras), sofre as consequências com todo o terror psicológico já pré-existente.


Se vira, você.
O mundo é cheio de ironias e você é a maior de todas elas.